JAAVAS, um projeto de excelência na Educação Especial

0

Seu nome é Shirley do Amaral Souza Rosa, casada, mãe de 3 filhos, sendo um menino, o caçula e duas meninas. Licenciada em Educação Física, professora da Secretaria Municipal de Educação. Hoje, é uma das profissionais que mais se destaca no norte do Brasil em Educação Física Adaptada. Acadêmicos da Universidade Federal do Amazonas, tradicionalmente costumam se inscrever às dezenas em sua despretensiosa Capacitação em Jogos Adaptados para acadêmicos. Falo ‘despretensiosa’ porque, para ela, as ações educacionais que norteiam a sua prática não precisam ser necessariamente complicadas e, mais do que teorias e embasamentos infindáveis em “psicologias”, “filosofias” e outras áreas de conhecimento acadêmico, ela entende que um ato de amor e dedicação para a criança especial vale mais do que uma centena de conceitos inteligentes, mas ineficazes no dia a dia educacional. Contudo, não despreza a “capacitação” técnica de seus colaboradores. Convida doutores que vêm de longe para palestrar nas formações do Jaavas e também para conhecer o seu trabalho e contribuir na construção dessa visão educacional representada pelo Projeto Jaavas.

PROFª SHIRLEY AMARAL (no centro)

Já vão longe os tempos de sonhos na sua profissão, quando via o que precisava ser feito e apenas almejava um dia poder atender os alunos em suas dificuldades motoras mais essenciais. Atuava, gostava do que fazia, mas não “como”. Um dia, começou a “repensar” o seu “fazer pedagógico”: E se parássemos de pensar nessas crianças apenas sob o aspecto de pessoas comprometidas fisicamente? E se lançássemos “desafios possíveis” para eles? E se criássemos “jogos adaptados” às suas limitações? E se buscássemos a ajuda dos pais? E se preparássemos as próximas gerações de professores de Educação Física para “enfrentar” a questão da Educação Física na Educação Especial buscando sempre a excelência? E essas mudanças começassem a partir de mim como educadora?

[su_quote]“Comecei a trabalhar especificamente coma a pessoa com deficiência em 1997, quando fui voluntária na Associação de Deficientes Físicos do Amazonas – Adefa, quando treinei o time de basquetebol em cadeira de rodas que representava o Estado. Desde essa época muitas coisas me angustiavam, como a falta de recursos, a inexistência de uma política pontual para os deficientes físicos e a escassa literatura de base. Desde lá avançamos muito. Quando vim trabalhar na Secretaria Municipal de Educação comecei a passar as mesmas angústias e eu precisava fazer algo diferente. Quase quinze anos se passaram até que em 2012, dei formato aos Jogos Adaptados André Vidal de Araújo – Jaavas, que hoje é um dos maiores projetos para Pessoas com Deficiência do Brasil, pois adequa os Jogos a todos os tipos de comprometimento.”[/su_quote]

O Jaavas são os Jogos para pessoas com deficiência, surgiu da necessidade de termos na Semana Nacional da Pessoa Com Deficiência e Mobilidade Reduzida uma ação que mostrasse o potencial dessas pessoas e como podem ser incluídas. Mais tarde, a ideia de aproveitar a metodologia dos jogos surgiu e, hoje, a forma de trabalhar do projeto passou a ser uma espécie de visão de mundo da Educação Física Adaptada, onde o desenvolvimento da auto estima, tanto do estudante quanto dos seus pais e familiares, assim como a adaptação de movimentos e a superação pessoal de limites, passam a ser os norteadores das ações educativas.

As grandes ações e culminâncias do Jaavas buscam levar a população a abraçar a causa da pessoa com deficiência. São elas:

  • Pedalada e caminhada da Inclusão;
  • Corrida Azul (adultos) e
  • Corrida do abracinho (crianças);
  • Projeto Mães Especiais;
  • Circuito de atividades motoras nas escolas;
  • Programa de atividades motoras;
  • Caminhada de mães especiais;
  • Capacitação em Educação Física Adaptada;
  • Capacitação em Jogos Adaptados para acadêmicos;
  • Mostra de dança adaptada e
  • Jogos adaptados.

De repente, o Jaavas cresceu tanto que virou um programa da secretaria Municipal de educação, alcançando parcerias e apoiadores de peso, dentre eles podem ser citados a Ufam, a empresa The voice, a Seduc, a Apae e o Conselho Regional de Educação Física – CREF8 e Comitê Olímpico Brasileiro.

Neste ano de 2019, na semana dos Jogos, pretendemos atender cerca de 3.500 pessoas com deficiência. Em todas as ações atendemos cerca de 10 mil pessoas tanto típicas como atípicas.

[su_quote]”Quando o Jaavas iniciou, confesso que jamais imaginei que iríamos chegar tão longe, mas nunca estive sozinha. Recebi ajuda de personalidades da política municipal, dos pais, sempre incansáveis, das instituições parceiras e, hoje, quando apreciamos a alegria no rosto das crianças ao receberem com emoção uma medalha pelo seu esforço, assim como o empenho dos professores de educação física em participar das capacitações, tornando-se voluntários da causa sabemos que isso tudo não tem preço.”[/su_quote]

A Secretaria Municipal de Educação – Semed é, atualmente, destaque nacional em jogos e ações para incentivar a inclusão. “Sei que estamos fazendo história, mas raramente pensamos nisso porque a pessoa com deficiência é nossa realidade ‘agora’ em todas as camadas sociais e, nada mais justo do que nos capacitarmos e criarmos meios para que a pessoa com deficiência seja inclusa, pois esse é o nosso trabalho e a nossa vida, completou Shirley Amaral.

O projeto está em curso, neste ano de 2019.

As inscrições começam dia 22/07 e vão até o dia 09 de agosto no horário de 08h às 12h, no CSU do Parque 10.

A capacitação Acadêmica vai acontecer no período de 14 a 16 de agosto e terá Carga horária 40h

Inscrições para os jogos podem ser feitas online aqui. 

Fotos: Arquivo Semed/Acervo pessoal Shirley Amaral

COMENTE ESTE POST...

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui