Cmei da zona Oeste vai participar do programa ‘Escolas2030’

0

O trabalho realizado pelo Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Hermann Gmeiner foi mais uma vez reconhecido. Desta vez, o Cmei da Prefeitura de Manaus foi selecionado como uma das mil unidades de ensino que participarão do programa Escolas2030. Foram selecionadas escolas de 10 países com o objetivo de realizar pesquisa-ação sobre soluções construídas em instituições de educação de desenvolvimento.

“Essa é mais uma das muitas provas do avanço na qualidade do ensino nas nossas escolas. Essa notícia nos orgulha e nos mostra o quanto nossos alunos, professores e escolas, de um modo geral, têm vocação para serem destaque global e não apenas local e nacional. O investimento em educação tem sido uma marca da nossa gestão e assim vai ser até o último dia do nosso governo”, disse o prefeito Arthur Virgílio Neto.

O programa Escolas 2030 existe como uma parceria entre diversas instituições internacionais e atuará em 10 países, de 2020 a 2030, para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS) 4, que é assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todas e todos. E o 8, que visa promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, o emprego pleno e produtivo e o trabalho decente para todos.

Localizado no bairro Alvorada, na zona Oeste de Manaus, o Cmei, que atende 448 alunos de 3 a 5 anos, já havia sido reconhecido em 2018 como uma Escola Transformadora pelo Instituto Ashoka, a primeira unidade de ensino infantil a receber o reconhecimento.

“Em 2015, a escola recebeu uma proposta de educação integral. Um projeto em que crianças, adolescentes e jovens são vistos como cidadãos de direitos em todas as suas dimensões. Isso mudou totalmente a visão dos professores e pais que passaram a valorizar muitas coisas que não valorizavam antes. Passaram a aproveitar o ambiente da escola porque saímos do sistema de apostilamento, das paredes”, disse Zilena Maia, gestora da escola.

Por conta de suas práticas, a diretora da unidade de ensino e uma equipe da Secretaria Municipal de Educação (Semed) também participaram em 2019 do 17º Fórum Nacional Extraordinário dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), para falar sobre as escolas transformadoras da rede municipal de ensino. “Foi uma experiência muito boa, porque as escolas são exemplo do trabalho evoluído e desenvolvido pela Prefeitura de Manaus. Falar sobre o processo e como esse processo saiu do sistema tradicional e desenvolveu novas políticas públicas foi gratificante”, acrescentou Zilena.

A experiência de educação integral e democrática representa a opção por um projeto educativo integrado, em sintonia com a vida, as necessidades, possibilidades e interesses dos estudantes. Isso fez diferença para a Alice da Costa, mãe do aluno do maternal Heitor da Costa, segundo filho seu que estuda na unidade. “Meu primeiro filho começou com três anos e hoje está com seis. Ele é autista e a escola me proporcionou todo apoio, ajudou com as atividades, fez total a inclusão dele e hoje em dia ele evoluiu bastante”, contou.

Em relação à gestão democrática, a mãe apontou que todos os familiares, e não somente os pais, podem participar das atividades na escola. “Se quiser passar o dia na escola para ver como é a rotina do filho, pode sem nenhum problema. Pai e mãe têm essa liberdade de poder ver como é o dia do seu filho na escola, passa uma total confiança e o ensino é ótimo, eles aprendem muito com imagem e brincadeiras”, finalizou Alice.

ODS

Em 2015, a Organização das Nações Unidas (ONU) elaborou um documento apresentando os 17 Objetivos de Desenvolvimento Social com 169 metas que devem ser realizadas até o ano de 2030.

— — —

Fonte: manaus.am.gov.bt
Texto –
 Alexandre Abreu / Semed
Fotos – Eliton Santos / Arquivo Semed

COMENTE ESTE POST...

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui