A Fruta

Tucumã da Amazônia

Nome científico: Astrocaryum aculeatum (sinonímia: Astrocaryum macrocarpum, A. tucumã) Nome popular: Tucum, Tucumã-açú. Família: Arecáceas (sinonímia: Palmas) Nome comum: Tucumã, tucumã-do-amazonas. Origem: Brasil – Amazônia brasileira Parte utilizada: Fruto, espinho, casca

Descrição da planta

Trata-se de uma palmeira amazônica, perene, de ocorrência natural nos estados do Amazonas, Pará, Acre, Rondônia e Mato Grosso. Ela atinge até 20 metros de altura e 30 centímetros de diâmetro do seu tronco (estipe). Em toda a sua parte aérea, principalmente onde estão as folhas, contém grande quantidade de espinhos negros e longos. As folhas são longas, semelhantes as do coqueiro, e chegam a 5 metros de comprimento. As flores são produzidas em inflorescências (cachos), eretas, longas e o pedicelo (porção que interliga o cacho ao tronco) é longo, podendo chegar 2 metros de comprimento. As inflorescências são emitidas entre as folhas (interfoliares). Os frutos são globosos a alongados com 3,5 a 4,5 centímetros de diâmetro e contêm um bico na extremidade apical. A casca dos frutos é lisa, dura e de coloração verde-amarelada, enquanto que a polpa (mesocarpo) é carnosa, fibrosa, oleosa, cor amarelada ou alaranjada, rica em vitamina A e sabor levemente adocicado. O centro do fruto é ocupado por um caroço duro, preto, que é a semente. As condições favoráveis ao seu desenvolvimento são: terra firme, não sujeita a inundação, pouco exigente em fertilidade do solo, pois ocorre normalmente em ambiente degradado com vegetação secundária e clima quente. A propagação é feita por sementes.

Produção e produtividade

A planta produz grande quantidade de frutos durante o ano. Utilidade Os frutos são comestíveis ao natural e muito apreciados na região de sua ocorrência. São consumidos também na forma de sorvetes, sucos, licores e doces. As folhas são usadas nos artesanatos, na obtenção de linhas com suas fibras, cestos e balaios. A parte dura do centro dos frutos (endocarpo) é usada no preparo de anéis, brincos, pulseiras e colares.

Fruta muito nutritiva:

100 gramas de polpa equivalem a 52.000 unidades de vitamina A ou a dez frutas cítricas, vitamina C, fornecendo 247 calorias.

Dica para cultivo:

“É possível fazer a semente germinar mais rápido. Quando os frutos estiverem maduros, ou já passados, retire a polpa, lave os caroços e coloque-os para secar na sombra por 1 – 2 semanas. Em seguida, quebre os caroços para retirar as sementes. Antes de quebrar, balance os caroços para ouvir se as sementes estão soltas. Deixe as sementes de molho por 3 a 5 dias. Nesse caso, use água corrente ou troque a água diariamente para evitar que as sementes apodrecem. Por último, basta plantar as sementes em um canteiro. A germinação pode começar em apenas 30 dias. Quando as mudas já estiverem com 4 a 5 folhas, já podem ser plantadas nos locais definitivos.”

Composição de Ácidos Graxos:

Capoico – 0,40
Caprílico – 2,22
Cáprico – 2,11
Láurico – 51,42
Mirístico – 21,99
Palmítico – 5,76
Esteárico – 2,93
Oléico – 8,75
Linoléico – 4,17
Lignocérico máx – 0,25
Araquidônico – 0,14
Behénico – 1,4-1,9

Características Físico-Químicas

Aspecto: Graxa vegetal sólida.
Cor: Ligeiramente amarelada
Odor: Característico.
Índice Saponificação: 187,50
Índice Refração: 1,459 (40ºC)
Índice de Iodo: 43,40
Ponto de Solidificação: 18,24
Ponto de Fusão: 30ºC

Para saber mais consulte a fonte desta pesquisa: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alimentos/tucuma

Inscreva-se e receba nossos posts