Nos últimos 20 anos foram notificados no Ministério da Saúde mais de 632 mil casos confirmados de hepatites virais no Brasil. Em Manaus, de acordo com os dados coletados pelo Sistema de Notificação de Agravos (Sinan) foram diagnosticados 968 casos de Hepatites Virais em 2019, sendo prevalentes o tipo B, com 347 casos e o tipo C com 174 confirmados. Em 2020, até o mês de junho, já foram diagnosticados 132 casos de hepatites, sendo 39 casos tipo B e 24 casos tipo C.  Dentro das estratégias de ação para a redução destes números, tem-se instituída a mobilização do Julho Amarelo, mês de atenção e combate às hepatites virais. Na capital do Amazonas, a Prefeitura de Manaus reforça esse trabalho, intensificando suas ações para que um maior número de pessoas faça o teste, vacine-se e cuide-se contra a doença.

Embora as ações sejam reforçadas durante o mês de julho, todos os serviços de prevenção – incluindo consulta, teste rápido e vacinação – estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da Prefeitura de Manaus rotineiramente. Agora, em julho, as unidades de saúde reforçam a oferta de testes rápidos para detecção precoce das hepatites B e C, a oferta de vacina contra as hepatites A e B, e a distribuição de preservativos para evitar a transmissão da doença por meio de relação sexual. Também são intensificadas as ações de Educação em Saúde com orientações sobre sintomas, diagnóstico, prevenção e tratamento.

Entenda melhor as hepatites:

Transmissão

A hepatite é uma grave inflamação do fígado com seus tipos A, B, C, D e E, sendo que os tipos A e E podem ser transmitidos pela água e alimentos contaminados, e os tipos B, C e D por via sexual ou no compartilhamento de objetos, como barbeador, seringa e utensílios de manicure. Além disso, a hepatite tipo B e C pode ser transmitida verticalmente, ou seja, de mãe para filho.

Sintomas

O grande desafio é a dificuldade de diagnóstico, já que a doença pode não apresentar sintomas, facilitando ainda mais sua disseminação. Entretanto, há alguns sinais de alerta, como: Olhos e pele amarelados; cansaço; febre; mal-estar; tontura; vômitos; dor abdominal; urina escura e fezes claras.

Quem deve buscar o serviço de saúde

Principalmente quem pertence a grupos de alto risco: quem não tem segurança quanto aos parceiros sexuais; quem compartilhou agulhas, tesourinhas, alicates e outros instrumentos suspeitos; quem fez tatuagens; quem manteve relações sexuais sem proteção; quem ingeriu alimentos contaminados; e quem não tem certeza sobre a qualidade da água ingerida. Essas pessoas devem procurar uma Unidade Básica de Saúde, fazer o teste rápido (confira lista em semsa.manaus.am.gov.br) e buscar a imunização ou o tratamento em caso de confirmação do diagnóstico.

Vacina

A vacina é uma forma de prevenção contra as hepatites A e B. A vacina contra a hepatite A é destinada para crianças de até 5 anos.  A vacina contra a hepatite B, é destinada para todas as idades, desde o nascimento à vida adulta. Quem se vacina para o tipo B, acaba se protegendo também contra o vírus D. Ainda não existe vacina para a hepatite C, porém o paciente pode realizar o tratamento cujo índice de cura é superior a 90%.

Algumas medidas simples previnem a infecção, tais como:

 – O uso de preservativos nas relações sexuais;

– Exigir materiais descartáveis e esterilizados em estúdios de tatuagem, salões com manicures e pedicures;

– Não compartilhar agulhas e seringas;

– Não compartilhar objetos pessoais, como alicate, escova de dentes, barbeador, pinça, etc.;

– Manter exames de rotina.

Procure uma unidade de saúde. Faça o teste, vacine-se e cuide-se!

Por: Secretaria Municipal de Comunicação
conteúdo de responsabilidade do anunciante