Depois da entrega do complexo viário ministro Roberto Campos, a Prefeitura de Manaus intensifica as construções dos terminais de transferência dentro do pacote de mobilidade urbana lançado pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, para promover melhorias ao sistema de transporte coletivo e ao trânsito. As três frentes de obras – Santos Dumont, Arena e Parque das Nações – entram na fase de implantação das fundações de estrutura e terraplanagem.

No total, serão três estações: da Max Teixeira, Arena e Santos Dumont, que estarão situadas no perímetro do corredor Sul/Norte, entre os terminais de integração 1 (Constantino Nery) e 3 (Cidade Nova), respectivamente. Nessas estações, os passageiros que vêm nos coletivos procedentes dos bairros irão desembarcar e seguirão a viagem utilizando ônibus articulados ou biarticulados.

Segundo o diretor-presidente do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), Francisco Bezerra, os moradores da cidade de Manaus podem, finalmente, se orgulhar de ter uma política de mobilidade urbana em implantação, criada pelo prefeito Arthur Neto, que enfrentou desafios e colocou em prática as diretrizes para melhorar o deslocamento das pessoas, com mais segurança e agilidade.

“Já constatamos a melhoria na qualidade de vida das pessoas que utilizam o transporte público com a implantação da Estação de Transferência e, em breve, as melhorias serão ampliadas com a chegada de novos coletivos e com a construção de outras estações de transferência. A gestão do prefeito Arthur fica marcada por esse legado, pela coragem em criar condições para as pessoas se locomoverem entre as diferentes zonas de uma cidade com a implantação de novas vias de acesso, favorecendo um trânsito mais seguro, como também o fortalecimento de um sistema de transporte público eficiente e eficaz”, ressaltou Bezerra.

Conforme o secretário municipal de Infraestrutura (Seminf), Keltom Aguiar, a primeira etapa da obra já foi concluída, com o levantamento topográfico e confecção de projetos. Agora, serão iniciados os serviços para a instalação das alças. “Já estamos com os serviços de implantação de fundação das estruturas e também com os trabalhos de terraplanagem para instalarmos as alças. Todas as estações serão entregues com passarelas equipadas com elevadores, piso tátil, rampas de acessibilidade, bancos metálicos e banheiros”, explicou o secretário.

As estações de transferências ou terminais de transferências são locais fechados onde o usuário pode desembarcar de uma linha de ônibus e embarcar em uma linha diferente, sem pagar nova tarifa. Neste sistema, não há tempo máximo para a integração.

Para realizar a integração na estação, o usuário precisa desembarcar no equipamento de uma das linhas que parem no local. Também é possível utilizar a Estação de Transferência como parada de ônibus, onde o usuário pagará a tarifa antes de entrar no equipamento.

Texto – Isabella Siqueira/Seminf
Fotos – Diego Caja/Seminf