Hoje, Manaus ganhou mais um presente. Sim a obra está linda, limpa, eficiente e era exatamente o que a cidade estava precisando para aquela área. Mais eficiente do que isso impossível! Parabéns Prefeito Arthur, pela excelente gestão.

A maior obra de mobilidade urbana da capital, o complexo viário Ministro Roberto Campos, localizada entre as ruas Pará e João Valério, na avenida Constantino Nery, foi entregue nesta segunda-feira, 29/6, pelo prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto. A obra faz a interligação entre as zonas Oeste/Centro-Sul, por duas passagens subterrâneas, e Norte/Sul, por uma plataforma principal, melhorando o fluxo no trânsito e o transporte de passageiros, para as demais zonas da cidade.

Essa é a segunda grande obra de mobilidade urbana construída na gestão do prefeito Arthur Neto – a primeira foi o complexo viário 28 de Março – e, em outubro, a terceira estrutura desse tipo será entregue no Manoa, na zona Norte. “Mais que um complexo viário, essa obra é um marco na mobilidade urbana da cidade, reunindo arquitetura moderna e inteligente, engenharia de trânsito, melhoria para o transporte coletivo, modernidade dos serviços e embelezamento da cidade”, afirmou o prefeito, ao descerrar a placa inaugural, ao lado da presidente do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, que também preside a Comissão Especial de Paisagismo e Urbanismo. Com investimento de R$ 63 milhões, o complexo foi construído em 15 meses com o cumprimento fiel do prazo contratual.

“O projeto para essa obra estava engavetado há 30 anos e só aparecia em períodos eleitorais, em maquetes grandiosas e nunca saiu da promessa. Nós precisamos de seis anos para encontrar o equilíbrio fiscal, resgatar e fazer crescer nossa credibilidade junto às instituições de crédito e tivemos a coragem de fazer o que muitos diziam que era loucura ou um sonho. Fizemos no momento certo, quando havíamos reunido as condições para fazê-lo. Está feito. A cidade ganha uma obra magnífica e que vai mudar sensivelmente a vida de todos”, afirmou o prefeito. “Apesar de tantos problemas, provocados pela pandemia do novo coronavírus, nós fizemos a obra e está tudo pago”, completou.

Pela terceira vez prefeito de Manaus e faltando seis meses para conclusão do mandato, Arthur Virgílio tem dito que o principal legado de seu governo será a própria gestão, pautada pela saúde financeira. “Acho que, agora, as pessoas entendem por que eu falo tanto em ajuste fiscal. Quem faz ajuste fiscal se previne para qualquer emergência. O Brasil todo está paralisado e nós aqui estamos fazendo obras. Já entregamos centenas e outras serão entregues nos próximos meses, pagando em dia servidores e fornecedores. Manaus vai caber no orçamento sempre, porque nunca vou deixar as contas públicas desajustadas”, disse o prefeito de Manaus, ao declarar entregue a obra e dar início a uma grande queima de fogos.

Arthur também justificou a homenagem prestada ao economista Roberto Campos, que dá nome ao novo complexo viário. “O importante é entregar essa obra em tempo recorde, uma obra que homenageia um grande amigo da Amazônia, o ministro Roberto Campos, que foi o idealizador da Zona Franca de Manaus. Um economista liberal, que sempre foi a favor de trabalhar a tecnologia, pensando no amanhã e a gente deve a ele a ZFM”. Se ele fosse vivo, estaria influenciando no sentido de fazer as reformas que a ZFM merece e precisa”, destacou.

Transporte e segurança

O complexo viário Ministro Roberto Campos também contempla uma inovação no sistema de transporte público. Trata-se da estação de transferência São Jorge, que possibilita a conexão de linhas de ônibus utilizando o sistema de bilhetagem eletrônica com o uso do Cartão Cidadão. O usuário não encontrará dificuldades, pois a integração na estação segue os moldes de um miniterminal.

A estação de transferência São Jorge é composta por duas plataformas: a superior, na avenida Constantino Nery, que receberá as linhas troncais; e a inferior, na alça de retorno ao São Jorge, que receberá as linhas de ônibus alimentadoras, ambas interligadas por elevadores e passarelas, que também permitem a travessia de pedestres na Constantino Nery.

O embarque e desembarque de passageiros será feito por um conjunto de 20 portas automáticas, dispostas em ambos os lados da estação de transferência, que tem capacidade de receber até quatro ônibus articulados ou trucados com porta à esquerda por vez, dois em cada sentido da via. Totalmente fechada, para garantir o controle na entrada e na saída do usuário, além de maior segurança, a estação terá sistema de monitoramento por câmeras. As portas automáticas terão abertura e fechamento acionados, remotamente, por um sensor controlado pelos próprios motoristas dos coletivos.

A estação de transferência São Jorge é a primeira de uma sequência de quatro estações com a mesma dinâmica, que estarão situadas no perímetro do corredor Sul/Norte, entre os terminais de integração 1 (Constantino Nery) e 3 (Cidade Nova). Serão as estações de transferência São Jorge, Arena, Santos Dumont e Parque das Nações.

O complexo viário contará com a segurança patrimonial da Guarda Municipal, com patrulhamento fixo e móvel, incluindo cinco guardas revezando a cada turno. A patrulha manterá a segurança do patrimônio público, com apoio da população para preservação do espaço e denúncias sobre ocorrências ou danos, por meio do 153, central de operações da Guarda Municipal que funciona 24 horas.

 Novos acessos

Ocupando uma área de 35 mil metros quadrados, o complexo viário possibilita a interligação entre a rua João Valério, no sentido Leste-Oeste, com a avenida São Jorge. Uma passagem subterrânea levará o tráfego de veículos, tanto no sentido bairro São Jorge quanto para a avenida Constantino Nery, sentido Centro.

Outra passagem sob a Constantino Nery interliga a avenida São Jorge e a rua Pará, pela rua Arthur Bernardes. Uma via paralela também permitirá que o motorista que trafega pela avenida São Jorge possa dobrar à direita, de forma livre, para acessar a avenida Constantino Nery. Isso deixará para trás um passado de congestionamentos na região, acabando com sete semáforos que existiam no local e que agora dão lugar a mais fluidez no trânsito.

O acesso do bairro São Jorge à zona Norte se dá pela rua João Alfredo, logo depois da passagem subterrânea de acesso à rua Pará. Para fazer o itinerário no sentido bairro, o condutor deverá entrar na passagem subterrânea de acesso à rua Pará e convergir à direita na rua João Alfredo, que terá o sentido de direção invertido. Assim, poderá acessar a rua São Geraldo, que também será invertida, e chegar à avenida Constantino Nery, seguindo em direção à zona Norte.

Antes, o condutor que saía do bairro São Jorge acessava a Constantino Nery (sentido bairro), fazendo uma conversão à esquerda, após aguardar no semáforo. Agora, o itinerário será realizado sem interferência semafórica e com mais segurança.

Toda a área está sendo sinalizada com placas de orientação e de regulamentação. Agentes de trânsito do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) estarão no local para orientar condutores sobre o novo itinerário.

Texto – Jacira Oliveira / Semcom e Assessorias
Fotos (Prefeito) – Mário Oliveira / Semcom